Concurso TRT 2/SP: autorização entra em pauta

Foi marcado para novembro uma sessão que discutirá a autorização de novo concurso público para o quadro de pessoal do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região (TRT 2), com jurisdição na capital e outros municípios de São Paulo.

Com isso, cresce a expectativa de que o certame já seja liberado e logo a seguir comecem os seus preparativos. Vale lembrar que, recentemente, o órgão escolheu uma empresa para aplicar um curso aos servidores chamado de “Concursos Públicos e Elaboração de Editais”, o que aumenta a probabilidade de nova seleção.

Fora isso, vale ressaltar que o TRT/SP tem, no momento, um déficit de 222 servidores, sendo 123 técnicos judiciários e 99 analistas judiciários. Tais cargos exigem nível médio e ensino superior, respectivamente.

Validade do último concurso do TRT/SP
Realizado em 2013, o certame anterior encerrará o seu prazo em março de 2018 para analista e técnico em algumas especialidades. Já para técnico – área administrativa – especialidade segurança, a validade termina em maio.

Isso também pode ser considerado outro indício de que o tribunal prepara outra seleção, ainda mais que os órgãos costumam lançar editais pouco antes ou depois do encerramento dos processos seletivos anteriores.

Sobre o concurso anterior do TRT/SP
Um total de 329 vagas, mais cadastro reserva de pessoal, foi disponibilizado no edital. As oportunidades ficaram distribuídas entre as cidades de São Paulo, Guarulhos, Mogi das Cruzes, Arujá, Ferraz de Vasconcelos, Itaquaquecetuba, Suzano, Poá, Barueri, Embu das Artes, Franco da Rocha, Itapecerica, Cajamar, Santana de Parnaíba, Itapevi, Caieiras, Carapicuíba, Cotia, Jandira, Osasco, Taboão da Serra, Santos, São Vicente, Cubatão, Arujá, Praia Grande, Diadema, Ribeirão Pires, Santo André, Mauá, São Bernardo e São Caetano.

Os candidatos com ensino médio concorreram ao posto de técnico judiciário na área administrativa, na área administrativa com especialidade em segurança e na área de apoio especializado com especialidade em tecnologia da informação e enfermagem.

Em nível superior, havia ofertas para o emprego de analista judiciário na área judiciária, na área administrativa, na área judiciária com especialidade em oficial de justiça avaliador federal e na área de apoio especializado com especialidade em tecnologia da informação, medicina, medicina do trabalho, psicologia, enfermagem, arquivologia e segurança do trabalho.

A banca organizadora, na ocasião, foi a Fundação Carlos Chagas (FCC) e os participantes passaram por um teste objetivo com questões de conhecimentos gerais e específicos.
Fonte:jcconcursos.uol.com.br

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*