Concurso TST 2017: Saiu o edital para nível médio e superior!

Tribunal Superior do Trabalho - DF

Temos uma excelente notícia para quem estuda para conquistar uma vaga no serviço público. Foi finalmente publicado o edital TST para abertura do concurso público para provimento de vagas e formação de cadastro de reserva para o Tribunal Superior do Trabalho (Concurso TST). A informação foi publicada no Diário Oficial da União desta quinta-feira (10/08).

São ofertadas 52 vagas imediatas para as carreiras de técnico e analista judiciário, de níveis médio e superior, além das que vierem a surgir na validade do certame, de dois anos, podendo dobrar.

As inscrições terão início às 10h do próximo dia 17 , seguindo até 14h de 22 de setembro de 2017, pelo site da Fundação Carlos Chagas (FCC), organizadora. A taxa está fixada no valor de R$ 120 (analista) e R$ 80 (técnico), devendo o pagamento ser efetuado até a data limite para o encerramento das inscrições.

As remunerações iniciais são extremamente atrativas, chegando a R$ 8 mil para Técnico e R$ 13 mil para Analista (considerando o reajuste de 2018).

O concurso TST será um dos maiores do ano e sua tradição de nomeação é impressionante: em 2012, foram 998 convocados; já em 2007, foram 998 foram chamados para assumir seus cargos no Tribunal Superior do Trabalho.

Para passar no concurso TST, é importante manter foco na preparação e seguir o máximo de dicas possíveis para conquistar sua vaga. A série “Concurso TST 2017 (Área Jurídica) – 100 dicas” cai como uma luva, pois é o pontapé inicial para estudos na área jurídica da prova do TST antes mesmo do edital ser lançado.

São dicas sobre a estabilidade de gestantes no setor público, prescrição sobre danos da administração a particulares, contrato de aprendizagem, demissão por justa causa em caso de desídia no desempenho das funções de trabalho, prescrição para a ação de repetição de débito e diversas outras.

Wellington Antunes explica a obrigatoriedade do alistamento militar e da emissão do título de eleitor, quando essa situação é facultativa, sobre a estrutura do TST e demais assunto de direito constitucional; Tereza Cavalcanti analisa questões de equivalência de sentido propostas pela FCC como padrão em concursos da organizadora e explica que a banca cobra a língua portuguesa na prática, no uso; Leandro Alencar, professor de direito do trabalho, fala sobre o direito ao aviso prévio, adicional de salubridade e periculosidade, além de diversos temas chave para a prova específica; Elias Santana, professor de gramática, trata de pronomes à morfosintaxe da língua portuguesa; Josimar Padilha ensina maneira fáceis de compreender e solucionar problemas de raciocínio lógico.

De início, a primeira grande dúvida destacada por Aragonê se refere ao local de trabalho. Muitas pessoas se indagam se vale à pena prestar um concurso, mesmo sendo de alta faixa salarial, como o concurso TST, e sair de seus estados de origem, onde ainda mantém família e amigos. É possível conciliar o trabalho longe, por exemplo, dos pais, e ainda assim conseguir manter uma relação próxima?

Fernandes é claro, “é inescapável a questão da informatização em todos os processos. Na maior parte das vezes, você poderá fazer uso da ferramenta do teletrabalho: trabalhar de casa com acesso remoto de onde estiver. Obviamente, essa liberdade não vem sem responsabilidade, já que a carga de trabalho continuará alta mesmo trabalhando de longe”.

Em relação aos cargos vagos, para além de qualquer dependência posterior de administração e decisão estratégica de abrir ou não cargos específicos, já há vagas para técnico e analista. “A rotatividade dentro dos cargos do poder judiciário é notável. É normal que pessoas subam de técnico para analista judiciário e deixem seus cargos vagos, esperando outro servidor para preenchê-lo”, completa Aragonê Fernandes.

Leandro Alencar sinaliza a tradição de nomeação do concurso TST, “a probabilidade de chamar mais pessoas que o número de cargos vagos é grande. No concurso de 2012 aconteceu desta maneira. Sendo assim, não se atente somente à quantidade de cargos vagos, mas também à possibilidade, que é grande, de chamarem número acima do indicado”.

Remunerações do concurso TST
É uma excelente oportunidade para candidatos com nível médio completo, nível superior em qualquer áreas e áreas especializadas que desejam seguir carreira em um tribunal de grande destaque no cenário nacional, pois os inicias são de R$ 7 ou R$ 12 mil em início de carreira, valores atualizados e que valerão a partir do segundo semestre.

O valor de uma Analista Judiciário, Áreas Judiciária, Administrativa e demais especialidades serão de R$ 11.007, somado aos auxílios-alimentação e saúde, chegam a R$ 11.921, podendo ainda ser acrescida de auxílio-natalidade de R$ 700, para candidatos que tenha filho. O valor de um Técnico Judiciário é de R$ 6.709, somados aos mesmos benefícios básicos, é de R$ 7.893, podendo ainda ser acrescida de auxílio-natalidade de R$ 700, para candidatos que tenha filho.

Todos os valores mencionados estão de acordo com a Lei 13.317, sancionada em junho deste ano pelo governo, onde são reajustados tanto o salário-base quanto a gratificação de atividade judiciária (GAJ). No topo das carreiras chegará, em 2019, a R$ 11.398 e R$ 18.701.

Jornada de Trabalho dos aprovados no concurso TST
Os editais preveem 40 horas semanais, mas você pode trabalhar apenas 35h semanais se fizer 7h corridas, sem intervalo para o almoço. A definição do horário de entrada e saída é flexível, e varia conforme o setor de lotação.

O TST regulamentou o teletrabalho, e atualmente cerca de 100 servidores já se encontram nesta modalidade, que permite trabalhar de casa.

Lotação dos aprovados no concurso TST
Os recém-concursados são lotados em Brasília/DF. Cabe destacar que existe a possibilidade de realizar, futuramente, permuta com servidores de Tribunais Regionais do Trabalho de outras localidades.

Organizadora e etapas do concurso TST
Os concursos do TST são tradicionalmente realizados pela FCC e Cespe/UnB. As seleções compreendem prova objetiva e discursiva. Além desta etapa, o certame conta com investigação social e funcional, prova de capacidade física para técnico de segurança, e teste prático para especialidade de taquigrafia, exigindo dos candidatos um altíssimo nível de preparação e um estudo pré-edital de muita dedicação.

Aplicação das provas do concurso TST
As provas do concurso costumam ser aplicadas somente no Distrito Federal.

Histórico de nomeações dos concursos realizados pelo TST
O concurso sempre nomeia um grande quantitativo de candidatos aprovados. Trazemos mais uma vez como base os dois últimos editais (2012 e 2007).

Dicas para o início dos estudos concurso TST
Nesta fase inicial de estudos é importante que o candidato entenda a banca dos últimos certame e para isso pesquise sobre o examinador, conheça sua história, descubra suas tendências. Uma forma de conhecer a banca examinadora é refazer provas anteriores, disponíveis nos sites. Assim, é possível assimilar o modelo de avaliação.

No último edital, a primeira avaliação conteve 60 questões: 30 de Conhecimentos Básicos e 30 de Conhecimentos Específicos para técnicos, e 20 básicas e 40 específicas para analistas. Para os dois cargos, os itens específicos tiveram peso três. Os analistas precisaram elaborar uma redação, e os técnicos da especialidade Programação, um estudo de caso.

Foram considerados aprovados no exame objetivo, os participantes que conseguiram atingir o mínimo de pontos (200) após a aplicação da fórmula para calcular a média individual. Na prova discursiva, candidatos à analista devem conseguir a metade dos pontos e classificação dentro do limite de textos a serem corrigidos, variável por cargo. Não há nota mínima para o estudo de caso, sendo eliminados aqueles que não se colocarem entre os 150 primeiros.

Detalhes concurso TST 2017:
Concurso: Tribunal Superior do Trabalho (Edital TST)
Banca organizadora: FCC
Cargos: Analista; técnico
Escolaridade: Níveis médio e superior
Número de vagas: 52 + CR
Remuneração: R$ 8 mil Técnico e R$ 13 mil analista
Inscrições: Entre 17 de agosto e 22 de setembro de 2017
Taxa: R$ 120 (analista) ou R$ 80 (técnico)
Data da prova: 19 de novembro de 2017
Fonte:Blog Gran Cursos

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*