Concurso do TST: FCC é oficializada

Tribunal Superior do Trabalho - DF

Foi oficializada em Diário Oficial a vitória da Fundação Carlos Chagas (FCC) na licitação para escolher a organizadora do concurso TST 2017. A publicação no DOU desta quinta-feira, dia 13, pode ser consultada abaixo. O próximo passo do Tribunal Superior do Trabalho (TST) será a assinatura do contrato, programada para os próximos dias.

O edital, segundo o tribunal está previsto para este semestre, com grandes chances de sair ainda este mês. Oficialmente, o TST informa que a previsão é de divulgação do documento até junho.

Entretanto, tendo por base o projeto básico do concurso, ao qual FOLHA DIRIGIDA teve acesso com exclusividade, a seleção deve ser aberta este mês, com provas em julho. Isso porque nesse documento o TST tinha a previsão de divulgar o edital no mês passado, com provas em junho, já que as propostas das organizadoras foram entregues até o dia 24 de fevereiro.

Como houve recursos no processo de licitação, a abertura do certame sofreu atraso. Entretanto, acredita-se que o concurso possa ser aberto este mês, com abertura imediata das inscrições e provas em julho, respeitando o intervalo de 60 dias após a divulgação do edital.

O concurso TST 2017 será para técnico administrativo (nível médio), técnico em segurança judiciária (médio ou médio/técnico + carteira de habilitação na categoria D ou E) e técnico de programação (médio/técnico), com ganhos de R$7.260,41 (a partir de junho). Para analista (nível superior), serão seis áreas. São elas: administrativa (nível superior em qualquer área), judiciária (graduação em Direito), contabilidade, análise de sistemas, suporte em tecnologia da informação e taquigrafia (superior em qualquer área). A remuneração nesse caso é de R$11.345,90.

O TST informou que ainda não sabe se o concurso será para cadastro de reserva ou vagas imediatas. Tudo dependerá da aprovação do Projeto de Lei 100 de 2015, que busca a criação de 270 vagas de analista da área Judiciária.

Saiba estrutura das provas
As provas objetivas terão de 70 a 120 questões, divididas entre Conhecimentos Básicos e Específicos. Para técnico administrativo, haverá ainda redação. No caso dos analistas, será proposta uma prova discursiva. Uma avaliação prática, em dia posterior, acontecerá para técnico de segurança judiciária e analistas das áreas Judiciária e de Taquigrafia. As provas serão aplicadas apenas em Brasília, onde fica a sede do TST e os selecionados serão lotados. As provas serão aplicadas em horários distintos para cargos de níveis médio e superior, permitindo a concorrência para ambos.
Fonte:Folha Dirigida

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*