Concurso Prefeitura/SP: 100 vagas de fiscal em pauta

Prefeitura Municipal São Paulo - SP

Para quem almeja uma boa colocação no serviço público, na área de fiscalização, uma boa oportunidade poderá ser o concurso público da Secretaria Municipal da Fazenda de São Paulo, antiga Secretaria Municipal de Finanças. O órgão aguarda apenas a autorização do prefeito João Doria para dar início a seu novo concurso público para o cargo de auditor fiscal municipal classe I. A solicitação do órgão é para o preenchimento de 100 vagas na carreira, que pede formação de nível superior em qualquer área para o ingresso.

O pedido do órgão é para que a seleção seja autorizada o quanto antes, com publicação do edital ainda no primeiro semestre, uma vez que a expectativa é de que as nomeações dos aprovados ocorram nos meses de outubro de 2017 e junho de 2018.

A remuneração inicial da categoria, já considerando os complementos, chega a R$ 16.273,72. O valor inclui remuneração básica inicial de R$ 2.243,46 e as parcelas variáveis, que correspondem à gratificação de produtividade fiscal individual, com limite de até R$ 8.648,79; e cumprimento de metas, com limite de até R$ 5.381,47, com jornada de trabalho de 44 horas semanais.

Seleção anterior
Quem pretende concorrer ao cargo já pode dar início aos estudos, tendo como base o conteúdo programático do concurso anterior, realizado em 2014. A oferta, na ocasião, foi de 98 vagas, sendo 80 para a área de gestão tributária e 18 para a área de tecnologia da informação. A banca organizadora, na ocasião, foi o Instituto Cetro.

A seleção foi composta de 240 questões objetivas, distribuídas por três provas com 80 cada, além de uma quarta prova, com uma redação sobre atualidades e três questões discursivas sobre legislação tributária e direito tributário.

Para a área de gestão, a primeira prova contou com questões sobre língua portuguesa (30), matemática, estatística e raciocínio lógico (20) e direito tributário (30). Na segunda, legislação tributária municipal (45), direito constitucional (10), direito administrativo (15) e direito privado e penal (10). Finalmente, na última, administração pública (15), economia e finanças públicas (20), auditoria (10), informática básica (10), contabilidade geral (15) e contabilidade aplicada ao setor público (10).

Para a área de tecnologia da informação, na primeira foram abordados temas de língua portuguesa (30), matemática, estatística e raciocínio lógico (20) e direito tributário (30). Na segunda, legislação tributária municipal (45), direito constitucional (10), direito administrativo (15) e direito privado e penal (10). Por fim, na última, tecnologia da informação (60), administração pública (10), contabilidade geral (5) e contabilidade aplicada ao setor público (5).
Fonte:Folha Dirigida

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*