ANS: concurso 2017 deslancha em breve. Confira!

Agência Nacional de Saúde Suplementar

Após o carnaval, os trâmites que envolvem o concurso 2017 da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) deverão finalmente ganhar maior celeridade. Um deles é a votação, na Câmara dos Deputados, do Projeto de Lei 6.244/2013, elaborado para criar 11.028 cargos na Administração Pública federal. Desse quantitativo, 214 vagas serão destinadas à autarquia. Elas serão somadas a outras 17 já existentes, totalizando 231 vagas em cargos de nível superior na seleção prevista da ANS.

E motivos não faltam para sonhar com uma vaga na agência reguladora: estabilidade empregatícia (graças ao regime estatutário de contratação), remunerações acima da média, vários benefícios, além do status de ser um servidor público federal. Portanto, quem tem nível superior completo deve começar a estudar desde já, a fim de entrar bem preparado na disputa por uma vaga de analista administrativo ou de especialista. Para a primeira carreira, estão previstas 91 vagas, já para a segunda, 140.

Como o orçamento da União prevê arrecadação com taxas de inscrição para 231 vagas na ANS, o mais provável é que a autorização do concurso seja dada após o Congresso Nacional aprovar o projeto que cria as 214 vagas para a agência.

ANS: veja perfis e salários dos cargos do concurso
A ANS paga hoje R$ 11.529,29 aos analistas. Já no caso dos especialistas, o rendimento inicial é de R$ 12.432 mensais. A maior parte das vagas do concurso deverá ser para o Rio de Janeiro, como ocorre tradicionalmente, já que a sede fica na capital fluminense. A autarquia está sem concurso válido em cargos de nível superior desde 2015, quando foram admitidos, inicialmente, 31 analistas e 26 especialistas.

No último concurso da ANS para essas duas funções, que foi realizado em 2013 sob organização do Cespe/UnB (atual Cebraspe), houve provas objetivas, com 120 questões (sendo 60 de Conhecimentos Básicos e 60 de Conhecimentos Específicos), além de uma redação (que versou sobre Atualidades) e avaliação de títulos.

Os especialistas fizeram também um curso de formação. Na prova objetiva, foram cobrados conhecimentos de Língua Portuguesa, Língua Inglesa, Raciocínio Lógico, Direito Constitucional, entre outras disciplinas. Houve também exame de títulos e curso de formação. No concurso anterior, além do Rio de Janeiro, houve vagas para Cuiabá, Ribeirão Preto/SP, Curitiba, São Paulo e Salvador.
Fonte:Folha Dirigida

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*