Governo federal tem saldo com mais de 20 mil vagas para contratações este ano

Boa notícia para quem aguarda novos concursos federais ou nomeações de certames, do mesmo âmbito, já homologados. O governo federal conta com 21.298 cargos efetivos, empregos e funções para preencher, sendo 1.394 para a substituição de terceirizados. O dado consta do Decreto nº 8.986, já em vigor, publicado no Diário Oficial da União desta sexta-feira, dia 10.

O documento trata do saldo remanescente das autorizações para provimento de cargos constantes nos anexos V das Leis Orçamentárias Anuais de 2015 e 2016. Como essas vagas não foram utilizadas nos anos mencionados, isso, segundo o decreto, poderá acontecer em 2017. Qualquer utilização das vagas do saldo remanescente, porém, está condicionada aos limites orçamentários. As mais de 20 mil vagas se somarão ainda às 21.865, em cargos efetivos e comissionados de todos os poderes, previstas no orçamento do governo federal, já sancionado pela Presidência da República.

Confira concursos e nomeações que podem acontecer
O Ministério do Planejamento confirmou o saldo remanescente, acrescentando que 19,9 mil são cargos efetivos vagos do Anexo V da LOA 2015 e 1,3 mil são cargos vagos reservados para substituição de terceirizados, remanescentes dos Anexos V das LOAS 2015 e 2016. A pasta esclareceu também que esse quantitativo inclui outros poderes, além do Executivo, incluindo as Forças Armadas. Sobre concursos, o Planejamento informou que eles virão a acontecer em caso de necessidade da Administração, mas que, por enquanto, as seleções prioritárias são para substituição de terceirizados.

Acredita-se que o saldo remanescente ajude o governo a sanar problemas de pessoal em órgãos estratégicos como a Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Receita Federal e Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), que desejam abrir concursos este ano.

O decreto também pode ajudar na nomeação de aprovados dos concursos do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), já homologados. Ambos os órgãos já manifestaram o interesse de chamar excedentes – o IBGE já pediu o adicional de 50% das vagas ao Planejamento e o INSS informou que fará essa solicitação nos próximos meses.
Fonte:Folha Dirigida

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*