Concursos do Ministério da Fazenda geram grande expectativa

Receita Federal

Após a informação de que está previsto o envio ao Ministério do Planejamento de pedido de concursos 2017 para as carreiras do Ministério da Fazenda, conforme apurou a FOLHA DIRIGIDA, a expectativa é pela apresentação das demandas por parte dos órgãos que compõem a pasta. A solicitação mais aguardada é a da Receita Federal, cujo concurso para este ano está previsto no orçamento da União, já em vigor.

Segundo o documento de informações complementares à proposta orçamentária, estão previstas 400 vagas nos cargos de auditor-fiscal, analista-tributário, assistente técnico-administrativo e analista técnico-administrativo. A quantidade de vagas por cargo não foi informada no documento, aprovado junto com o orçamento, segundo a Secretaria Executiva da Comissão Mista de Orçamento do Congresso Nacional.

FOLHA DIRIGIDA consultou a Receita Federal com relação à apresentação da demanda de concurso, mas não houve resposta até o fechamento desta edição. No âmbito do próprio Ministério da Fazenda, o processo para a elaboração do pedido de concurso ainda não foi iniciado.

Caso seja solicitado o quantitativo previsto na proposta orçamentária, e considerando-se a média das vagas para cada cargo nos pedidos de concurso apresentados em 2016, o pedido poderá ter a seguinte configuração: 174 vagas para assistente (que poderão ser distribuídas por todo o país), 29 para analista administrativo, 77 para auditor-fiscal e 120 para analista-tributário. Veja o infográfico abaixo com uma projeção das vagas por cargo no concurso 2017 da Receita!

infografico-receita-federal-vagas (1)

Para ser assistente e fazer jus à remuneração inicial de R$ 4.137,97 (já com o auxílio-alimentação, de R$ 458), é necessário possuir o ensino médio completo. Para analista técnico-administrativo, os iniciais são de R$ 5.490,09. Já os cargos de auditor e analista proporcionam remunerações iniciais de R$ 18.754,20 (auditor) e R$ 10.623,92 (analista), havendo ainda reajustes programados para 2018 e 2019. Esses três cargos são voltados a quem possui formação superior em qualquer área.

Grande carência traz urgência a concurso
A grande carência de pessoal na Receita é um dos fatores que demandam urgência na realização de concurso. Somente na área fiscal, o déficit é de mais de 20 mil servidores, considerando-se a quantidade de vagas previstas em lei. No caso da área administrativa, a defasagem é de mais de 5 mil servidores, conforme levantamento do próprio órgão, segundo o sindicato da categoria (Sindfazenda). O potencial do órgão de melhoria da arrecadação, caso esteja melhor estruturado, também podem pesar a favor da autorização.

Também devem fazer parte da solicitação de concurso do Ministério da Fazenda outras autarquias e órgãos vinculados, como a Superintendência de Seguros Privados (Susep), a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e o Tesouro Nacional.
Fonte:Folha Dirigida

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*