Com grande carência, CVM reitera pedido de concurso.

Comissão de Valores Mobiliários-cvm

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM), autarquia vinculada ao Ministério da Fazenda, em breve encaminhará ao Ministério do Planejamento um pedido de concurso. Ainda não há informações quanto aos cargos e vagas, mas são grandes as chances de que a solicitação ocorra nos moldes da anterior, feita ano passado pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, contemplando as funções de agente executivo (nível médio), analista e inspetor (ambos de nível superior), que garantem remunerações iniciais de até R$ 16.933,64.

Em matéria divulgada no jornal “O Globo”, no último dia 17, o presidente da CVM, Leonardo Pereira, afirmou que há escassez de servidores, o que o deixa preocupado, inclusive face a inspeção do Fundo Monetário Internacional (FMI) prevista para este ano. Esse fator, segundo ele, justifica a nova solicitação, mesmo em um momento de contenção de gastos federais.

A autarquia, responsável pelo funcionamento do mercado de valores mobiliários e pela atuação de seus protagonistas, não conta com concurso desde 2010, quando foram oferecidas 150 vagas para os três cargos. Além da estabilidade garantida pelo regime estatutário, as altas remunerações são fatores que tornam esse concurso muito concorrido.

Para os cargos de analista e inspetor, a remuneração inicial é R$ 16.933,64. Para o primeiro, o requisito de ter curso superior completo em cursos como Arquivologia, Biblioteconomia, Ciências Contábeis e Infraestrutura de TI, entre outros, e o segundo não exige graduação específica. No nível médio, na função de agente executivo, a remuneração é de R$ 6.342,15.

Há, ainda, uma série de benefícios recebidos pelos servidores do CVM, como auxílio-alimentação de R$ 458, adicionais de qualificação, adicional de cursos de capacitação e auxílio-creche de R$ 321.

A última seleção foi realizada pela Esaf e exigiu conhecimentos de Língua Portuguesa, Conhecimentos Contemporâneos, Estrutura do Mercado de Valores Mobiliários, Conhecimentos Básicos de Administração e Administração Pública. Os candidatos foram submetidos a provas objetivas e discursivas, no Rio de Janeiro e São Paulo, as únicas localidades com vagas.
Fonte:coachingconcurseiros.com

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*