SEFAZ/BA: concurso de fiscal deve sair este ano

Sede - Secretaria Estadual da Fazenda da Bahia

Está previsto para ser realizado, ainda no decorrer deste ano, o novo concurso público da Secretaria Estadual da Fazenda da Bahia (Sefaz/BA) para o cargo de auditor fiscal de rendas . A intenção inicial era dar início ao certame no decorrer de 2016, o que acabou não se concretizando em virtude do momento de contenção de gastos pelo qual o país tem passado, em decorrência da crise econômica. Porém, o certame é considerado imprescindível, em virtude do grande período sem contratações para o cargo. A última seleção ocorreu há 12 anos.

A previsão é de 60 vagas e para concorrer é necessário possuir formação de nível superior, com remuneração inicial de R$ 8.456,19, para jornada de trabalho de 30 horas semanais. Porém, com os complementos, os vencimentos podem chegar a aproximadamente R$ 18 mil.

Concurso Anterior
No último concurso para o cargo, realizado em 2004, a oferta também foi de 60 oportunidades, sendo 48 para a área de administração, finanças e controle interno e 12 para tecnologia da informação. Na ocasião, para concorrer foi necessário possuir formação nas áreas de administração, ciências econômicas, ciências contábeis, direito, engenharia, informática, sistemas de informação, ciências da computação ou processamento de dados.

A banca organizadora foi a Fundação Carlos Chagas e a seleção contou com três provas, sendo duas objetivas sobre conhecimentos gerais e conhecimentos específicos e uma dissertativa de conhecimentos específicos. A primeira prova objetiva, de conhecimentos gerais, comum para as duas áreas, foi composta de 60 questões, sendo dez de língua portuguesa, 15 de direito constitucional e administrativo, dez de direito tributário, 15 de contabilidade geral e pública e dez de estatística.

Em conhecimentos específicos foram 50 questões. Para a área de administração, finanças e controle foram 25 de economia e finanças públicas, 15 de auditoria, cinco de matemática financeira e cinco de informática. Para tecnologia de informação, 24 de informática, 20 de gestão organizacional e cinco de matemática. Por fim, a prova dissertativa de conhecimentos específicos, comum para as duas áreas, contou com temas de atualidades relacionados com as disciplinas de conhecimentos específicos de cada área.

A parte de conhecimentos gerais contou com peso dois, enquanto a parte objetiva de conhecimentos específicos teve peso três e a dissertativa de conhecimentos específicos, peso um. Para a classificação final também foram considerados títulos, com limite de dez pontos.
Fonte:jcconcursos.uol.com.br

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*