Abin já encaminhou novo pedido de concurso público

Agência Brasileira de Inteligência - ABIN

Antecipar-se aos acontecimentos é uma das principais atribuições da Agência Brasileira de Inteligência (Abin). E tal atitude foi implementada também visando à abertura de um novo concurso para o órgão. A agência informou nesta quarta-feira, dia 11, que já solicitou ao Ministério do Planejamento a autorização para abrir uma nova seleção. O objetivo é obter a permissão em 2018, quando, a princípio, já terá sido encerrada a política de suspensão dos concursos no poder Executivo federal, que vale até o fim deste ano.

De acordo com a Abin, o pedido de concurso foi feito por meio de nota técnica, que encontra-se em análise em grupo técnico do Planejamento. O grupo é formado por profissionais da agência e do ministério, com a representação de demandas e argumentos da Abin tendo sido iniciada em outubro do ano passado. A quantidade de vagas a serem oferecidas está sendo negociada no âmbito do grupo técnico. A Abin informou que “pretende obter autorização para um número progressivo de vagas”. No ano passado, a agência já havia apresentado pedido visando ao preenchimento gradativo das vagas, ao longo de quatro anos.

Necessidade de novo concurso é urgente
A solicitação feita em 2016 foi para 650 vagas, sendo 90 de agente de inteligência (de nível médio, com remuneração inicial de R$6.147,22), 110 de agente técnico de inteligência (médio; R$5.577,73), 250 de oficial de inteligência (superior; R$15.461,80) e 200 de oficial técnico de inteligência (superior; R$14.281,28).

A necessidade de abertura de um novo concurso da Abin já foi ressaltada por entidades que representam os servidores da agência. A Associação Nacional dos Oficiais de Inteligência (Aofi) alertou que a “falta de pessoal implica em redução da eficiência das atividades realizadas pela Abin, inclusive com redução de atividades nas superintendências das diversas unidades da federação.”

A Abin realizou concurso para agente técnico e oficial técnico pela última vez em 2010 e para agente e oficial, em 2008. Em todos os casos a organização foi do Cespe/UnB (atual Cebraspe), com a seleção compreendendo provas objetivas e discursiva, investigação social e funcional, prova de capacidade física (apenas agente e oficial), avaliação médica, avaliação psicológica (apenas agente e oficial) e curso de formação.
Fonte:Folha Dirigida

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*