TRF-1ª Região: confirmado concurso para técnico e analista

Tribunal Regional Federal 1ª

Mais uma seleção para o Poder Judiciário será aberta em breve. O Orçamento da União de 2017 inclui a realização de concurso para técnico e analista judiciários do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, que abrange os estados de Minas Gerais, Acre, Amapá, Amazonas, Bahia, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Piauí, Rondônia, Roraima, Tocantins, inclusive o Distrito Federal. Os cargos exigem os níveis médio e superior, respectivamente. É tão certa a realização do concurso que o Orçamento da União, enviado ao Congresso Nacional, contém informações referentes à estimava de arrecadação de cerca de R$30.704.000,00 com taxas de inscrição, sendo R$15.399.000 para técnico e R$12.915.000,00 para analista.

O cargo de técnico judiciário tem remuneração de R$7.111,86, somando vencimento de R$2.965,38, gratificação de atividade judiciária (GAJ) de R$3.202,61, vantagem pecuniária individual (VPI) de R$59,87 e auxílio-alimentação de R$884. Já o cargo de analista judiciário, por sua vez, conta com rendimentos de R$11.063,80 considerando vencimento de R$4.865,35, GAJ de R$5.254,58, VIP de R$59,87 e auxílio alimentação de R$884. Um outro atrativo é que as contratações ocorrem pelo regime estatutário, que assegura estabilidade no emprego.

Embora o TRF ainda não tenha informado quais as especialidades de técnico e analista serão oferecidas no concurso, é muito provável que a seleção contemple as mesmas áreas do concurso anterior, realizado em 2011, para formação de cadastro de reserva. A carreira de técnico judiciário da área administrativa certamente será incluída no concurso, tendo em vista que esta função é a que demanda o maior número de contratações em todo o Poder Judiciário. Para concorrer, basta ter o nível médio, sem necessidade de formação técnica e experiência.

Com a garantia de que o concurso já está no orçamento, os interessados em ingressar no tribunal já devem iniciar a preparação. Segundo especialistas na áreas, quantos mais cedo os candidatos começarem os estudos, maiores são as chances de conquistar uma vaga. Como o TRF costuma realizar concurso para cadastro, visando a futuras contratações, é fundamental que o candidato consiga obter a melhor classificação possível, pois isso fará com que ele seja convocado com maior agilidade.

No último concurso, mais de 1.100 chamadas
Os preparativos do concurso deverão ser iniciados tão logo o Orçamento da União seja aprovado no Congresso Nacional. Feito isso, o TRF deverá elaborar uma minuta do edital e, em seguida, iniciar o processo de escolha da organizadora. O último concurso para o órgão aconteceu em 2011 e o prazo de validade foi encerrado no dia 3 de julho de 2015. Foram convocados 1.122 servidores aprovados ao longo de quatro anos. Destes, 506 foram para técnico judiciário na área administrativa, cargo que exige nível médio.

Na ocasião, os candidatos foram avaliados por meio de provas objetivas, de caráter eliminatório e classificatório. Os que pleitearam o cargo de técnico judiciário foram testados por 55 questões, distribuídas 25 questões de conhecimentos gerais e 30 de conhecimentos específicos, além de uma prova prática. Já os que concorreram a uma vaga de analista judiciário resolveram 60 questões, mais uma redação.
Fonte:Folha Dirigida

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*