DATAPREV – Alheia à crise, Dataprev é boa oportunidade

Uma empresa pública que dá lucro e é reconhecida pelo mercado. Isso é o que irão encontrar, apesar dos tempos de crise no serviço público federal, aqueles que forem contratados pela Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência (Dataprev), por meio do concurso, para 1.703 vagas em cadastro de reserva, que tem inscrições abertas até o próximo dia 7.

Quem garante é a diretora de Pessoas da empresa Janice Brutto, que falou com exclusividade à FOLHA DIRIGIDA. Na entrevista, ela também destacou as vantagens oferecidas pela Dataprev, tais como a possibilidade de crescimento, os incentivos à qualificação e outros benefícios financeiros, além da remuneração atrativa, prevista em edital.

A gestora também respondeu às críticas com relação ao aproveitamento do cadastro de reserva do concurso e deixou claro que não há riscos de conflito com a última seleção da empresa, de 2014, cuja validade irá até março do ano que vem e não será prorrogada, embora o edital permita a extensão do prazo.
janice-brutto-dataprev

FOLHA DIRIGIDA – No cenário atual, de crise no orçamento, nas empresas federais, como que a senhora definiria a situação da Dataprev? Que empresa os convocados nesse concurso vão encontrar?
Janice Brutto – Se eles fizerem uma análise da Dataprev, ela já ganhou muitos prêmios do próprio mercado. Já foi a primeira empresa na Valor 1.000 e na Exame, em 2013 e 2014. Já ganhou prêmio na Isto É Dinheiro em 2015. É reconhecida como uma empresa pública, com serviço adequado, de primeira grandeza, com um projeto de Tecnologia da Informação muito interessante. E uma empresa que está plenamente saneada financeiramente. Uma empresa pública que tem lucro e é reconhecida pelo mercado.

Existe uma rotatividade grande na Dataprev?
A nossa rotatividade não é grande. Nosso turnover (taxa de renovação) é considerado baixo. Hoje, 40% do contingente de empregados da Dataprev tem mais de 25 anos de casa. A gente tem feito uma série de ações, como programas de desligamento incentivado, porque geralmente as pessoas que têm muito tempo de casa, não todas, mas algumas, ainda mais na área de tecnologia, às vezes estão defasadas em relação à realidade e ao trabalho dentro da Dataprev. A empresa procura oferecer uma alternativa de saída. E também trabalhamos com avaliação de desempenho ligada a resultado. Todo ano o empregado é avaliado, recebe orientações por conta disso e fica também tendo um feedback sobre o seu desempenho. E se não melhorar ele pode ser mandado embora.

E de forma geral, qual seria a receita para que a pessoa tenha uma carreira longa na Dataprev?
Em primeiro lugar, ser alinhada ao projeto da casa. Esse projeto de inovação, de tecnologia, que é o nosso projeto principal e de atendimento aos nossos clientes que prestam serviço à sociedade. Tem que ter também o conhecimento e motivação para o serviço público. O atendimento ao público, à sociedade. Depois, ela tem que estar permanentemente se renovando, continuar estudando, praticando. Ela vai ter acesso a uma série de informações e tecnologias, que ela tem que se alinhar e ir atrás também.

A Dataprev oferece outros benefícios financeiros, além dos que já constam no edital?
Para empregados que têm filho em idade pré escolar e escolar até o ensino médio, temos um reembolso escolar para cada filho, até o limite de R$1.061 para cada um. Damos também apoio financeiro para tratamentos especializados, aqueles que não são cobertos por nenhuma das políticas públicas. E o principal incentivo é uma gratificação variável por resultado. A cada três meses, a Dataprev estipula um resultado para cada setor. No final dos três meses, dependendo do resultado, ele recebe uma gratificação. Isso é muito importante, porque canaliza a atenção e o trabalho dos nossos empregados para esses resultados, que estão alinhados com a estratégia da empresa.

E dá para se falar em valores dessa gratificação?
Os valores variam. Temos um orçamento anual em torno de R$45 milhões e esse valor é distribuído. Essa gratificação é paga em cima de um montante relacionado com o nível da tabela salarial do empregado. Quase todos chegam a cerca de um salário base e meio dele por ano. Mas é pago proporcionalmente ao alcance da meta. É bem motivador. As pessoas ficam esperando o final do trimestre, verificando os resultados, para receberem.

E existem outras vantagens, como incentivos à qualificação?
Temos um plano de capacitação, que é desenhado ao final de cada ano, para o ano seguinte. A Dataprev tem, por exemplo, um campo grande de equipamentos, temos três data centers, softwares de última linha. Então, todos os treinamentos são alinhados com essa tecnologia. Além disso, temos alguns programas de educação a distância internos, ligados à segurança da informação, que são obrigatórios para todos os empregados. E estamos pensando em retomar o programa de incentivo à pós-graduação. Tivemos esse programa, ainda temos empregados com esse incentivo, mas em função do contingenciamento que aconteceu nos dois últimos anos, a gente deu uma arrefecida um pouco nele.

E há projetos voltados para a qualidade de vida?
Temos um programa amplo de promoção de saúde e qualidade de vida, fazemos exames periódicos todos os anos, campanhas internas, de vacinação. A Dataprev custeia praticamente 90% das vacinas dessas campanhas. Temos uma série de benefícios de saúde e de qualidade de vida para os nossos empregados.

Quais são as possibilidades de crescimento dentro da Dataprev?
Temos um plano de carreira que define três módulos de crescimento. O empregado entra no módulo um, que é o módulo básico da carreira, o chamado júnior. Depois, no momento em que ele completa quatro anos, fica apto a concorrer para passar para o segundo módulo, que é o pleno. E depois de cinco anos nesse módulo ele pode concorrer ao módulo sênior. Cada módulo tem diversos níveis.

E há uma progressão salarial dentro de cada módulo?
Exatamente. A cada ano a gente faz uma avaliação de desempenho, por mérito, em que o empregado pode crescer até dois níveis dentro da tabela salarial. E há a progressão funcional, que é o crescimento de um módulo para outro, se ele já tiver o tempo para isso.

Existe possibilidade de assumir cargos de chefia?
Sim. A empresa tem hoje cerca de 500 cargos de chefia, que vão desde os níveis de gerente de linha de frente até a superintendência. A Dataprev tem seis superintendências e hoje todas são chefiadas por empregados da casa. As gerências também são todas da casa.
Fonte:Folha Dirigida

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*